segunda-feira, 20 de março de 2017

Junji Abe - sempre combati o monopólio em qualquer atividade, doa a quem doer e até enfrentando inclusive represálias. Vejam as notícias nacionais e internacionais sobre os gravíssimos prejuízos de ordem sanitária, econômica, financeira, social e moral que o gigantesco escândalo, denunciado pela Polícia Federal por meio da “Operação Carne Fraca” - quatro anos atrás, em 25/09/2013, já havia denunciado a catástrofe que o processo monopolista do setor de carne causaria ao País.


Com total legitimidade e razão, sempre combati o monopólio em qualquer atividade, doa a quem doer e até enfrentando inclusive represálias. 

Vejam as notícias nacionais e internacionais sobre os gravíssimos prejuízos de ordem sanitária, econômica, financeira, social e moral que o gigantesco escândalo, denunciado pela Polícia Federal por meio da “Operação Carne Fraca”, impõem ao Brasil, à nossa sociedade como um todo e aos consumidores das nações comercialmente parceiras. 

Literalmente, absurdo e vergonhoso, com danos incomensuráveis!

Vivo o inconformismo, porque quatro anos atrás, em 25/09/2013, já havia denunciado a catástrofe que o processo monopolista do setor de carne causaria ao País. 


Enquanto deputado federal, presidente da Frente Parlamentar Pró-Horti e membro da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, fiz um contundente alerta contra o monopólio engendrado pelo Grupo JBS no setor de carne bovina no Brasil, inclusive com um registro extremamente grave: 

a utilização de bilhões de dinheiro público, via financiamento do BNDES, para quebrar os pequenos e médios frigoríficos e tirá-los da concorrência

Tudo isso, com a complacência e participação de maus governantes e servidores públicos


Caso Friboi---------------------------------------------------------------------
  Apoio à investigação e punições
Junji: “É o dinheiro público, oferecido à Friboi,
a juros irrisórios, que permite ao grupo bancar a
publicidade maciça e sair comprando
empresas para fechá-las”

Na Comissão de Agricultura, Junji apoia audiência pública para apurar cartel comandado pela JBS-Friboi no mercado interno de carnes e na exportação do produto


25/09/2013
Para apurar os detalhes da aquisição de mais um frigorífico, o Bertin, pelo grupo JBS-Friboi, a Capadr – Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural aprovou, em reunião ordinária desta quarta-feira (25/09/2013), a realização de uma audiência pública. “É preciso investigar a fundo as operações da Friboi que, agasalhada com recursos públicos, comanda um cartel nefasto, adquirindo a maioria das pequenas e médias empresas do setor para monopolizar o mercado interno de carnes e as exportações do produto”, manifestou-se o deputado federal Junji Abe (PSD-SP).


Membro do colegiado e presidente da Pró-Horti – Frente Parlamentar Mista em Defesa do Segmento de Hortifrutiflorigranjeiros, 

Junji defendeu a maciça participação de lideranças do setor agropecuário na apuração dos fatos que envolvem o grupo JBS-Friboi, o maior conglomerado de carne bovina do mundo, mais conhecido pela propaganda da tevê com o ator Tony Ramos.

A irritação de Junji é agravada pela “inexplicável benevolência” do poder público com o conglomerado, amparado com um financiamento do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, no valor de R$ 7 bilhões, para levar adiante sua estratégia de consolidar o monopólio da Friboi no mercado.

“Com a complacência de entidades governamentais, o grupo desencadeou um verdadeiro balcão de negócios que tem cheiro de falcatruas e irregularidades”.

Apresentado pelo presidente da Capadr, deputado Giacobo (PP-PR), o requerimento (457/2013) aprovado trata do convite ao empresário Reinaldo Bertin para prestar esclarecimentos sobre o processo de aquisição do frigorífico Bertin pelo grupo JBSFriboi. 

A audiência pública será realizada, em data a ser definida, na SubCartel – Subcomissão Permanente de Combate à Cartelização do Agronegócio no Brasil, destinada a discutir e oferecer soluções às práticas monopolistas em prejuízo dos produtores rurais brasileiros. 

Segundo Junji, foi detectado o comportamento predatório da JBS-Friboi com o objetivo de monopolizar o mercado. 

“O grupo comanda uma sucessão de compras de pequenos e médios frigoríficos para fechá-los e impedir a concorrência. 

Não bastasse, estes movimentos têm recebido não apenas o aval, mas também a ajuda financeira do governo”, denunciou o deputado e completou: 

“Precisamos frear, imediatamente, o processo que se choca com os interesses maiores do País e coloca a economia brasileira na mira do caos, assim como punir os responsáveis”.

A própria campanha promocional da Friboi, de acordo com pecuaristas, conduz ao conceito que a marca quer impor: a única confiável no Brasil. 

Na realidade, observou Junji, outros 209 frigoríficos no País possuem selo de inspeção federal e têm seus produtos nas prateleiras da rede varejista. 

“É o dinheiro público, oferecido à Friboi, a juros irrisórios, que permite ao grupo bancar a publicidade maciça e sair comprando empresas para fechá-las”, criticou o deputado. 

A estratégia, assinalou, traz prejuízos diretos aos pequenos e médios concorrentes que, assim como a quase totalidade dos pequenos profissionais do agronegócio, enfrentam sérias dificuldades econômicas.
Mais informações:


Mel Tominaga
Jornalista – MTB 21.286
Tels: (11) 99266-7924 e (11) 4721-2001
E-mail: mel.tominaga@junjiabe.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário